20 de novembro de 2013

Curiosidade: Diferenças do livro/filme O Lado Bom da Vida - Matthew Quick


Olá meus caros leitores! Sei que este livro já foi muito comentado, e até quase toda a gente viu o filme, mas devo dizer que os dois são bastante diferentes, mas (na minha opinião) igualmente bons. Então hoje vos mostrarei as diferenças entre um e outro, e para quem ainda não leu ou viu o filme recomendo que façam os dois, pois vale a pena! Nãos se preocupem que eu vou tentar ao máximo não revelar nada muito importante em nenhum dos dois.

( Conselho: Ouçam o soundtrack enquanto leem o post  )



O livro é o meu favorito de todos os tempos: O Lado Bom da Vida de Matthew Quick.

Sinopse do livro:


Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínsica
Número de Páginas: 256
Género: Romance
Skoob


Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados".
Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.
À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que "é melhor ser gentil que ter razão" e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez.
Um livro comovente sobre um homem que acredita na felicidade, no amor e na esperança.


Sinopse do filme:

Lançamento: 1 de Fevereiro de 2013
Direção: David O. Russell
Atores: Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Robert De Niro, Jacki Waever
Gênero: Comédia dramáticaDuração: 2h02min

Por conta de algumas atitudes erradas que deixaram as pessoas de seu trabalho assustadas, Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.


Curiosidade do filme:

  • Inicialmente seria Anne Hathaway a intérprete de Tiffany, mas ela teve que desistir do papel devido a conflitos de agenda, sendo depois substituída por Jennifer Lawrence. 

  • Bradley Cooper também não foi a primeira escolha, sendo inicialmente Mark Wahlberg cogitado como protagonista. 

  • Jennifer Lawrence, por sinal, ganhou o seu primeiro Óscar na idade de apenas 22 anos, Globo de Ouro e o SAG Awards pela atuação como Tiffany. Robert De Niro teve a primeira indicação ao mesmo prêmio em 21 anos, (o ator ganhou duas estatuetas douradas, por O Poderoso Chefão 2, 1974, melhor ator coadjuvante e Touro Indomável, 1980, melhor ator), além de ter sido indicado outras cinco vezes). No total foram 8 indicações ao Óscar.


  • A personagem de Tiffany, no filme iria ser gótica, mas foram gradualmente tirando a maior parte do estilo, deixando-a só com o crucifixo ao pescoço e as roupas pretas. 


Ficamos muito agradecidos pelos atores que fizeram o filme certo?

Curiosidade literária: 

Para quem não sabe Pat lê demais, principalmente “para ter algo que conversar” com Nikki, já que ele lê os livros que ela ensina.

Então vamos dar uma olhada na biblioteca de Pat:



Adeus às Armas, de Ernest Hemingway
A Letra Escarlate, de Nathaniel Hawthorne
A Redoma de Vidro, de Sylvia Plath
O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D. Salinger
As Aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain



A inspiração do autor de colocar o seu personagem lendo estes livros deve-se à altura em que Matthew Quick era professor de literatura, uma mãe preocupada com o seu filho que estava entrando em depressão pelos clássicos que estavam ensinando na escola. Para ela, “a natureza triste dos livros que ele era obrigado a ler não lhe estavam fazendo bem”. “Claro, eu acredito que devemos ensinar e ler os clássicos”, disse Quick a uma entrevista dada à revista Veja “mas [ela] me fez reexaminar nossa grade de leitura. Praticamente todos os livros que eu ensinava acabavam em tragédia. O telefonema me impactou e fiquei pensando se realmente aquele montante de dramas não estaria fazendo algum mal para as jovens mentes.”



12 Diferenças:

  • Vamos começar com os nomes: no livro o sobrenome de Pat é Peoples, no filme é Solitano

  • Só descobrimos o que aconteceu com Nikki quase no final do livro, quanto no filme a gente fica sabendo mesmo antes da metade dele, o que acabou um pouco com o suspense, mas já que o filme é uma comédia/romance/drama até que está certo. 

  • Tiffany fala muito pouco com Pat, tanto que ela corria com ele e nem se falavam, no livro ela é tagarela e fala pelos cotovelos. 

  • No livro temos mais história sobre o irmão de Pat, enquanto que no filme só o vemos numas 3 cenas. 

  • De Niro e Bradley Cooper têm um relacionamento fora da tela, quase de pai e filho, o que foi uma dádiva para o diretor. 


“ Quando O lado bom da vida foi publicado, um amigo diagnosticado como esquizofrênico veio a mim e perguntou: “Como você sabe dessas coisas? Isto é realmente autêntico.” E eu disse: “Bem, eu também tenho os meus problemas.” Foi muito esclarecedor ter essas conversas.” Matthew Quick

  • No livro, Pat de fato deseja ter um relacionamento com o pai mas este é emocionalmente incapaz de fazê-lo. Já no filme, o pai quer que Pat esteja por perto, sob o pretexto de que os Eagles ganharão caso ele esteja por lá. Assim ficamos com a sensação que o pai realmente quer fazer parte da vida do filho, de modo que se inverteram um pouco os papéis. 

  • O livro se passa em Nova Jersey, no lado Nova Jersey da Filadélfia, em South Jersey. A história situou-se no outro lado da Filadélfia, nos subúrbios da Pensilvânia.

“Tiffany representa na verdade aquela qualidade explosiva que força alguém a olhar dentro de si mesmo. Pat é delirante, especialmente no livro. Ele é muito mais delirante no livro. Ele não quer encarar a realidade. Tiffany é aquela que agarra a cabeça de Pat e faz com que ele olhe diretamente no espelho para alguém que ele não quer ver.” Matthew Quick 

  • No livro, Pat fica muito transtornado sempre que ouve “Songbird”, de Kenny G. No filme, a música que irrita Pat é “My Cherie Amour”, de Stevie Wonder. No livro, logo no início, também era “My Cherie Amour” mas não conseguiram os direitos da música, uma vez que era preciso pagar para obter permissão para usar a letra no livro. 

  • A cena de dança dos dois, no livro é algo bem romântico, e bastante mais profissional, no entanto no filme é algo mais divertido e até tem uma parte em que eles falham um movimento.

  • No livro eles treinam sozinhos, já que Tiffany é dançarina, no filme o grande amigo de Pat do sanatório, Danny, que  os ajuda a montar a coreografia. 

  • Na cena do estádio, no estacionamento do jogo dos Eagles,  Pat entra numa confusão na defesa do seu psiquiatra e amigo indiano, Dr. Cliff Patel, no livro é na defesa de seu irmão.

  • O final no livro ficou mais incógnito, não sabendo de quase nada do que acontecerá no futuro de Pat, no filme sabemos bem o que aconteceu, não dá para ficar com dúvidas. 



Comentário:


Haveria bastantes mais coisas para falar: diferenças para eu mencionar, curiosidades etc, mas se eu as disser todas depois também perde a graça. O importante é saberem que realmente existem diferenças, mas não muda o fato que o filme e o livro são ótimos. Sabemos que as adaptações são diferentes, e aquilo que se coloca num filme não dá muito certo num livro e vice-versa, então o diretor tem que trabalhar com o que tem, e dar asas à sua imaginação mas nunca saindo muito fora do tema principal, algo que na minha opinião não mudou: trata-se de um doente psiquiátrico em recuperação, que faz de tudo para ter o seu “Final Feliz”.

Muitas pessoas criticaram o filme e o livro dizendo que os dois foram chatos, e quando gostaram de um, não gostaram do outro, eu amei os dois!

Aconselho a todas as pessoas a lerem o livro e a verem o filme! O livro é um tremendo ensinamento de vida, e considero o meu favorito até hoje, muito realista, pouco sentimental, apenas perfeito! A história leva-nos numa jornada de mentalização do nosso próprio lema de vida. Será que fazemos tudo para termos o nosso final feliz? Ou será que às vezes deixamos o nosso lado negativo tomar conta e vemos tudo tão mau que nem conseguimos idealizar aquilo que é melhor para nós?

E fica o conselho:


Trailer:




Espero que tenham gostado e até =)

2 comentários:

  1. O livro que eu não li, mas o filme é ótimo. Filme muito bom. Bem dirigido, um bom roteiro, divertido, inteligente. Jennifer Lawrence esta digna em seu personagem, ja mostrou que é uma excelente atriz, ja Bradley Cooper me surpreendeu, a história tem sido os melhores filmes com Bradley Cooper que eu vi. Atuações ótimas até mesmo dos coadjuvantes Robert De Niro e Jacki Weaver estão ótimos. Uma ótima historia, madura, diferente de todas essas comedias dramáticas/românticas. Vale muito apena acompanhar.

    ResponderExcluir
  2. Só gostei do livro. E o livro também é só OK, não é tudo isso. O filme viajou na maionese. Todos ficam gritando e não é só a Tiffany que é tagarela. Fiquei atordoada.

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Editado por: Carolina Lopes • voltar ao topo